Amazonas – Anny Rose Fernandes (julho 2017)

Amazonas – Anny Rose Fernandes (julho 2017)

De 27 a 29 de junho aconteceu na sede da Convenção Batista do Amazonas,  um treinamento para capacitar missionários a implementarem novos *PEPEs junto às suas igrejas.

*O PEPE é um projeto missionário que atua no Brasil e em outros 29 países, com o objetivo de oferecer suporte sócio educacional e espiritual por meio de igrejas evangélicas, visando o desenvolvimento da criança.

O público-alvo é composto por crianças de 4 a 6 anos em situação de vulnerabilidade social. No estado do Amazonas, muitas são as barreiras para que as crianças tenham acesso à educação, ao saneamento básico e outras prioridades para o seu desenvolvimento saudável. A realidade social de muitos moradores que vivem em áreas distântes é de isolamento.

Segundo a matéria “Vítimas do descaso e da intolerância – A triste realidade do interior do Amazonas”, publicada no site “Reporter” em 2013, algumas comunidades possuem agentes de saúde, mas que não têm treinamentos básicos, as crianças sofrem de dores de dente e barriga e não existem remédios.

Quando os moradores dos *beiradões precisam levar um filho doente até o hospital da cidade, as canoas são os meios de transportes disponíveis e a viagem pode durar dias. As escolas são apenas formalidades para que as crianças não fiquem sem atividade escolar, mas a aprendizagem está comprometida pela fome e o baixo nível profissional das pessoas encarregadas em ministrar as aulas. Segundo a coordenação do PEPE, de 2013 para cá, pouca coisa mudou,  quanto mais distantes dos centros urbanos, mais difícil se torna a situação.

É nesta triste realidade que igrejas e pessoas têm se levantado para intervir e mudar o curso de centenas de crianças e suas famílias, dando a eles um pouco de dignidade e a oportunidade de salvação.

Participaram deste tempo de capacitação 20 pessoas de 7 igrejas e denominações diversas. O treinamento consistiu em estudar a filosofia do PEPE, com foco na realização do trabalho com as crianças, além de treinamento e suporte nas áreas de visitação às famílias, empreendedorismo e proteção à criança.

Na palestra sobre proteção à criança, uma das mais importantes pelo alto índice de abuso sexual no Estado, percebemos um grande mover de Deus. A gente faz a palestra pensando na criança que estará no PEPE, será alcançada e  protegida, mas não imagina a repercussão entre os adultos. Tínhamos no grupo, pessoas que infelizmente sofreram abuso quando criança e tivemos a oportunidade de oferecer apoio psicológico/aconselhamento para estes” – Anny Rose Fernandes, coordenadora do PEPE Amazonas e missionária Sepal.

Ao final do evento, uma das novas missionárias foi à frente para compartilhar como a capacitação foi impactante em sua vida, e que além de aprender sobre o PEPE e o trabalho infantil, foi ministrada de forma pessoal. Assumiu publicamente a situação em que viveu quando criança e saiu comprometida em conversar com sua família a respeito.

A equipe do PEPE louva a Deus por este tempo de instrumentalização das igrejas e cuidado com o rebanho de cristo.  Hoje, o programa tem 4 pessoas colaborando com a coordenação, nas áreas de supervisão de campo, apoio pedagógico, suporte à criança em situação de trauma e comunicação.

Oremos por estas igrejas e as novas equipes, para que tenham recursos humanos e financeiros para continuarem escrevendo novas histórias para a glória de Deus.

Boas notícias! Compartilhamos dois testemunhos de como o PEPE Amazonas tem sido instrumento para salvação de vidas.

Patrícia – ajudante de uma das missionárias no PEPE Pequeno Cidadão.

PEPE – Pequeno Cidadão

O PEPE – Pequeno Cidadão, localizado em Presidente Figueiredo, município que fica a 130 Km de Manaus, tem uma turma com 10 crianças inscritas. Uma delas,  segundo a sua própria mãe Patrícia, sempre falava de Deus em casa. As conversas da criança começaram a deixar seus pais intrigados, como por exemplo: “Papai, você sabia que o Papai do céu não gosta que você brigue com a mamãe? Vocês precisam conversar. Foi isso o que aprendi no PEPE”.

Os pais resolveram ir até o PEPE para entender melhor o projeto e o que a filha estava aprendendo. Ao participarem, ficaram emocionados com a programação: curta, singela, mas amorosa e eficaz. Disse a mãe da criança: “Minha filha foi dando retornos significativos em casa. Ela trazia a mensagem aprendida para dentro da nossa casa e muitas músicas, uma delas dizia: Meu coração é uma casinha que precisa de atenção, ela precisa estar limpinha com água da salvação.  Então, ela me disse que eu precisava convidar Jesus pra dentro da nossa casa e que eu ia ver que o papai não iria mais brigar comigo. Hoje no meu lar, o meu coração é uma casinha que Jesus está morando”.

Patrícia  estava afastada de Deus, se reconciliou com Cristo, hoje é ajudante da missionária do PEPE – Pequeno Cidadão.

missionaria_darlyene

1- Missionária Darlyene e “sua pequena”; 2 – Missionária Darlyene e sua turminha.

Pepe Sementinhas de Cristo – uma lição de ousadia

O Pepe Sementinhas de Cristo fica no  Bairro Monte Pascoal, na cidade de Manaus. Um PEPE que nasceu com muitas dificuldades, mas em nenhum momento a igreja perdeu a fé, ou pensou em desistir de abrir este espaço para a comunidade.

“Eram 6h da manhã, do dia 11 de junho (domingo) quando a missionária Darlyene recebeu uma ligação desesperada de um pai dizendo que ele e sua filha iriam morrer.

Era o pai de uma pepita (assim são chamadas as crianças do PEPE) que havia sido agredido pela mãe de sua filha e a companheira dela, ao exigirem dinheiro para quitar dívidas com drogas. Já há três dias com pneumonia e trabalhando de moto táxi para sustentar a filha, o pai da garotinha não tinha dinheiro, por isso, apanhou muito, a pequena também foi agredida. Ao lado de fora da casa, os traficantes aguardavam as mulheres.

A missionária ouviu tudo, percebendo a gravidade, pegou sua bíblia, chamou a avó da menina e foram para a casa do pai. Ao chegarem na residência, saudou os traficantes com “a paz do Senhor”, escoltaram o pai e a criança, abriu a porta do carro e foram para a delegacia. Os traficantes não disseram nada, e todos saíram ilesos dessa situação.

Aquele homem em perigo, tentou ligar para a policia que não veio ao seu socorro, mas a segunda opção foi a igreja de Cristo. Eles buscaram pela missionária em quem sentiam amor e confiança.

Louvado seja Deus pela diferença que essas igrejas que tem PEPE, tem feito em seus bairros, cidades e comunidades ribeirinhas. Saindo das quatro paredes, indo ao encontro dos “não vistos”.

*beiradões –  Local na margem de rios na Amazônia onde moram os ribeirinhos ou beiradeiros (sinônimo de interior).


Texto: missionários
Edição: Edna Ramos
Diagramação: Paulo Ribeiro

Texto: missionários
Edição: Edna Ramos
Diagramação: Paulo RibeiroSalvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar