Ministério Educacional da Igreja: Uma perspectiva brasileira

Ministério Educacional da Igreja: Uma perspectiva brasileira

Esse artigo foi originalmente publicado em Inglês no Christian Education Journal, Vol. 10, Edição Suplementar, “International Perspectives on Christian Education,” Fall 2013.  O artigo  tem direito autoral e é aqui traduzido e publicado com permissão.

Introdução
O Espírito de Deus sempre nos surpreende em sua renovação dos ministérios do Corpo de Cristo. O Brasil é uma nação  quase 200 milhões de pessoas. Enquanto a Igreja Católica Romana tem o maior número de seguidores  de qualquer crença, nas duas décadas passadas tem sentido um declínio. Enquanto isso, a população protestante tem crescido 6.8% a 22.2% desde os anos 2000 a 2010. 60% destes são pentecostais, 21.8% de alguma forma de protestantismo, e as igrejas de origem histórica perfazem 18.5% (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica,2010).

Embora essas estatísticas revelam  muito, ainda existem questões levantadas para um educador cristão sobre a igreja brasileira.  O propósito deste artigo é prover uma visão do Ministério Educacional da igreja  no Brasil e tirar algumas conclusões desde uma perspectiva bíblica. Este artigo tem como base uma pesquisa para 93 pessoas de minha lista de e-mails. A resposta veio com 24%, mas nenhuma da Amazonia, o que cria uma limitação  para os resultados.  Esses líderes da pesquisa foram selecionados  porque eles servem como pastores, professores, missionarios, educadores cristãos, e plantadores de igrejas.

Abordagens da Educação Cristã entre os brasileiros de classe média

Iniciamos olhando para um jovem cristão, que usando seu Blackbarry clica no Youtube e Talmudin para assistir uma mensagem sobre discipulado do pastor batista, Ed Rene Kivitz. A mensagem  lhe foi  de especial ajuda nesse dia pois as pressões da vida estavam lhe apilhando. O Pastor Kivitz e sua equipe representam uma das igrejas que estão crescendo em uma das maiores cidades da América Latina. Ela está tecnicamente plugged in  em clientes que encontram um lugar de aprendizado ali com mensagens relacionadas a sua “vida loca” (vida louca) nas grandes cidades. Esses indivíduos também representam a nova, crescente, afluente classe média no Brasil que tem maior poder de compra que as gerações anteriores. Eles estão ansiosos para usufruir de uma fatia da economia brasileira e ascender a escada social do poder (Igreja Batista de Agua Branca, 2011).

Vamos descobrir que esse conceito de compartilhar o Evangelho tem o mesmo apelo nos dias de hoje como quando dos primeiros missionários que chegaram ao Brasil. Sara e Robert Kelly inauguraram a primeira escola dominical em 1885 com um pequeno grupo de crianças no Rio de Janeiro (Ramos, 2009). Nesse período o Brasil ainda esta envolvido no tráfico de escravos. Negros e índios formavam a base da pirâmide social e não eram a prioridade do esforço missionário.

O despertamento da Comunidade Negra

O tempo desde o século 19 ao 21 estabeleceu os negros e seus descendentes como um grupo étnico com suas próprias demandas na sociedade brasileira. A Igreja brasileira  é despertada para a conscientização desse grupo social como parte dos milhões que confessam a Cristo. Eles querem ser visíveis como parte dos afro-descendentes dessa nação. A Igreja Apostólica em Alphaville, um próspero subúrbio no interior de São Paulo, atrai sua membresia, especialmente o jovem negro, através do seu Ministério cultural e étnico.

Tendo como alvo os descendentes de imigrantes no Brasil

Outro exemplo de igrejas implementando uma aborgadem étnica e cultural é o Ministério da igreja Holiness.  Eles se enfocam nos japoneses e seus descendentes e tem inúmeras igrejas por todo o país. Uma delas, a dinâmica igreja Holiness do Bosque, em São Paulo, tem um forte programa de discipulado e mentoreamento.  Essa igreja é um exemplo em trazer muitos descendentes de japoneses à Cristo. Liana Goya, diretora do grupo Mentorio de Mulheres em Ministério e esposa do pastor, nos dá uma ideia do programa de treinamento da igreja.

“Temos um curso chamado “Treinamento Ministerial”dado pelos pastores da igreja. Ele tem três módulos de 16 horas cada um. O primeiro é Vida Pessoal, dado pelos pastores da igreja. Vida Pessoal é  focado na vida do líder, seu caráter, identificação com Cristo, etc. O segundo é Vida Ministerial, focando habilidades ministeriais do líder. Tem tópicos como Liderando um Estudo Bíblico, O Corpo de Cristo, Aconselhamento, Dons Espirituais, como Compatilhar sua fé, etc. O terceiro é o Módulo Teológico, focado nas doutrinas básicas da igreja e denominação, técnicas de aconselhamento, hermeneutica, etc.”(L. Goya, comunicação pessoal, Março 13, 2013)

Sampa Community Church, liderada pelo Pastor Higino Filho, é uma igreja que tem como alvo as pessoas com uma mente globalizada e que falam inglês. A maioria da membresia são brasileiros com experiência internacional. A igreja oferece toda sua programação em inglês e desenvolve diversos ministérios de apoio. Eles estrategizam usando mensagens em inglês com subtitulos em português, e tem três programas para desenvolver as pessoas espiritualmente (Reunião, Ponto de Início e Grupos Comunitários), vídeos de alta qualidade, e uma paixão bíblica para se ter uma experiência com Jesus. Higino desfruta seu ministério, pois esse grupo de mente globalizada é criativo e um grande gerador de ideias.  (F. Higino, comunicação pessoal, Março 13–16, 2013).

O abismo financeiro e Educacional entre os pobres do Brasil

Outro lado que a Igreja precisa estar alerta é que os espíritas no Brasil estão entre os que obtêm o maior nível educacional e de riqueza no Brasil. Ao contrário dos pentecostais, que embora o maior número entre os evangélicos, tem a maior porcentagem dos que ganham um salário mínimo e os que tem o mínimo de edicação formal entre jovens com 15 anos de idade. O abismo entre esses grupos é siginificativo. O governo brasileiro apresenta tentativas de diminuir esse problema promovendo subsidios educativos para o pobre. Infelizmente, encorajar os membros da igreja a avançar em sua educação formal, não é parte da cultura da igreja brasileira. (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica, 2010).

Crescimento Financeiro do Brasileiro

A afluência que a era Lula trouxe ao país fez com que a igreja tenha maior poder econômico. A prosperidade  financeira das igrejas brasileiras traz a necessidade da consciência politica  para atingir as necessidades do pobre.  Pastor Reynado, na área norte da cidade de São Paulo, plantando uma igreja local, com seu próprio recursos alugou um salão e abriu as portas de sua igreja. Os primeiros a virem foram as crianças. Eles vem de lares destruidos, familiares em prisões ou em droga; sem habilidades formais e desempregados. O ciclo de probreza se repete em diversas geraçòes.  Mas, o Evangelho chegou através do Pastor Reynaldo e muitas vidas estão sendo mudadas.

Reynaldo me pousou a seguinte pergunta: Como ensinar essas crianças? A medida que as idéias surgiam na conversa, eu o desafiei a investir na vida dessas crianças discipulando-as nos próximos cinco anos.  Ele pode receber ajuda de uma energética presbiteriana, uma senhora de 83 anos. Ela tem servido por muitos anos com  a Aliança Pró-Evangelização de Crianças. Sendo um pastor jovem, Reynaldo ésta aprendendo que o Ministério Educacional da igreja é maior que as questão anterior que tem as crianças como alvo. A  medida que conversamos, os parametros biblicos do discipulado estavam presentes: adoração, Comunhão, Finanças, Missóes, Ensino, Ministérios de ajuda, Orações, etc.  Certamente a Biblia que  tem ajudado a formar gerações de lideres da igreja brasileira, vai fazer isso outra vez com ele.

O MinistérioEducacional da Igreja e sua base teológica

A igreja Brasileira ainda precisa descobrir que os cristãos tem as mesmas aflições que os não cristãos. Muitas igrejas tem movido o seu polo de ministério da pregação da Palavra à teologia da Prosperidade e milagres, sem enraizar seus membros na Palavra de Deus. Sua mensagem dá enfases  a saúde fisica e a conta bancária. Nossos irmãos e irmãs  que vão a essas igrejas estão sem conhecimento bíblico. Muitos deles vão deixar essas igrejas assim que eles descobrirem que a vida é dura. Eles necessitam uma igreja que se apoia em uma teologia trinitariana e que lhes ensina todo o conselho de Deus. Somente assim eles encontrarão uma resposta biblica para as demandas da sociedade na cultura, trabalho, dificuldades da vida e a igreja local.

É na igreja local que o novo convertido aprende os conceitos básicos da Biblia que o ajuda a fortalecer seu andar diário. A igreja, portanto, é um dos primeiros lugares onde as pessoas repensam sua cosmovisão. Uma consciência crítica é essencial para desenvolver a cristãos maduros que entendam seu papel e provejam respostas para os problemas sócio-políticos. Essa deficiencia em concientizaçào politica em muitas igrejas demonstra sua falta de entendimento do evangelho integral como a Biblia prega. Por exemplo, Juliana Saldanha que vive em Natal, Rio Grande do Norte (RGN), é membro da Assembléia  de Deus. Como uma jovem dentista, ela viu a necessidade dos pobres nas cidades do interior de seu estado. Muitas áreas estão desprovidas dos serviços básicos de saúde.  Ela, planejou um Ministério de evangelismo que atende a pessoa  e a cidade onde moram como um todo. Em sua igreja, Juliana busca por profissionais e estudantes, os desafia a fazerem um treinamento. No período de seis meses ela os capacita em liderança e evangelismo.

Uma pessoa como Juliana evita a falsa teologia entre espiritualidade e o dia a dia. Ela é  habilidosa para levantar líderes que servem na igreja local, não como coronéis, mas como servos do Deus vivo. Para eles o evangelho é integral, ajudando a todas as esferas da vida. Eloise Hiebert Meneses (2006) enfatiza que a igreja não está fora da realidade política de nossas vidas. É a tarefa do Ministério Educational da Igreja preparar os membros a adquirirem uma visão crítica da sociedade com base na Palavra de Deus. O resultado é uma visão política que permite a igreja ser uma voz profética na comunidade. Certamente Ele é hábil para curar e livrar de demônios, bem como enriquecer-nos com bênçãos materiais e transformar um indivíduo em um discípulo.

As igrejas históricas

Um exemplo de igreja histórica, é uma igreja que se reúne em um hotel 4 estrelas em São Paulo. Ela é liderada no sistema de colegiado de pastores. A esposa do Pastor Wadislau, uma educadora cristã, explica a natureza do Ministério Educacional da igreja:

¨A Educação cristã ocorre durante o culto, a adoração, o ensino e a aplicação. A centralidade na Palavra de Deus é expressada pela pregação do pastor-mestre. O estudo das confissões de Heidelberg e Westminster, vendo mais de perto nas passagens biblicas, também ocorrem durante o culto de adoração (uma ou duas questões por semana). Antes do “grande”sermão, as crianças são chamadas à frente e um dos pastores “prega”5 a 10  minutos para elas, com sua participação e comentários, depois ele ora com elas e, para aqueles  que não podem ler saem para classes com professores treinados que lhes dão lições interativas. As crianças maiores participam no restante do culto e ensino da Palavra. Depois do sermão, um tempo é dado para as pessoas (crianças e adultos) fazerem perguntas, comentários e procurar respostas, assim ninguém deve sair com dúvidas sobre o que foi ensinado. Doutrina é parte integral da exposição-aplicaçào do sermão. Essa igreja enfatiza  a responsabilidade dos pais pela formação espiritual dos seus filhos, portanto os pais participam dos estudos bíblicos nos lares. Transmitir a fé a pessoas fiéis que a passam a outros! O grupo de estudo bíblico tem uma visão profunda da comunhão e ensino dos crentes num contexto de seu testemunho a amigos, família e vizinhos (muitas pessoas se tornaram cristãs quando primerio chegaram a  esses grupos de estudos, e somente depois foram para a igreja”. (E. Gomes, comunicação pessoal, Março 13 and 19, 2013.)

Outro exemplo de uma dinâmica igreja histórica é a Presbiteriana de  Santo Amaro, São Paulo, liderada pelo pastor  Leandro Lima. Eles tem uma escola dominical que atende a todas as idades. O pastor e alguns editoriais produzem o material de ensino. Eles treinam seus voluntários através da Aliança Pró-Evangelização de Crianças. Como ocorre com inumeras igrejas brasileiras, elas enviam seus lideres para serem treinamos em seminários sobre educação e instituiões similares. Para evangelismo, essa igreja Presbiteriana de Santo Amaro desenvolveu um Ministériochamado ”Semear”.  E um programa que tem segue as 4 estaçoes do ano onde a igreja é treinada em evangelismo e formação de células. (O.S. Lima, comunicação pessoal, March 11 and 15, 2013).

Essas igrejas históricas sedimentam seu ministério em base bíblica sólida e vida comunitária, conectando suas raizes históricas a uma nova geração.

Grupos celulares como estratégia do Ministério Educacional da Igreja

Gupos celulares, especialmente nas igrejas neo-pentecostais é a principal estratégia para discipular os novos convertidos ou aqueles que migram para essas igrejas. A maioria  dos líderes desenham seus curriculos com a  expectativa de preparar os membros para servirem especificamente na denominação. O Ministerío Educacional da igreja é conectato com o conceito de apostolado, onde o fundador da denominação oferece cobertura espiritual a todos os seus membros. Eles atraem pessoas que buscam uma estrutura de crescimento, desejam aprofundar sua fé em um grupo familiar, e buscam por um papel de liderança na momunidade.

Artes e o Ministério Educacional da Igreja

Outro aspecto de crescimento do Ministerio  Educational da Igreja no Brasil é de artes com músicos, teatro e bailarinos. A medida que a igreja alcança a comunidade através destes meios, também se abre oportunidades para o surgimento de grupos etnicos como a dos afro-brasileiros. Em sua pesquisa, Daniela Gomes (2012) destaca a influência da musica black Norte-americana na juventude negra brasileira. Gomes demonstra que os artistas afro-americanos frequentemente se tornam modelos para os jovens brasileiros no tipo de pessoas que estes querem tornar-se. Infelizmente, digo eu, os artistas afro-americanos não são os melhores modelos de vida quanto a questão de moralidade e valores. Entretanto Gomes chama as igrejas evangélicas a promover os artistas cristãos que possam tornar-se referências aos jovens brasileiros. Sua pesquisa mostra que algumas igrejas estão se abrindo a coros negros cristãos e a rap musica; e o número deles tem aumentado.  (G. Daniela, comunicação pessoal, Março 20, 2013).

Com a disseminação das artes, o Ministério Educacional da Igreja tem ganho os corações de muitos brasileiros que vão ao teatro para ver artistas cristãos se apresentando. E outra área que a igreja necessita fortalecer é o programa de discipulado destes para ter lideres que são fiéis ao seu chamado de adoração. Essa tarefa deveria começar desde o berçario de nossas igrejas.

Missões e o Ministério Educacional da Igreja

A igreja brasileira é fortemente evangelista. Os pastores urbanos e missionários se esmeram em alcançar suas comunidades. O esforço missionário do Ministerio Educacional da Igreja normalmente tem seu foco nas cidades. Raramente um missionário é enviado pela igreja para alcançar além mar. Uma razão significante é que o Ministério Educacional da igreja não ensina seus membros a apoiar missões como uma prioridade do Reino. Um modelo positivo de uma igreja missionária, que tem missões em seu DNA é a Presbiteriana Independente de Dourados, Mato Grosso do Sul. Os grupos celulares oram por missões e ofertam para missões locais, desde as que servem aos indios brasileiros à missionários além mar.

A posição geral do Ministério Educacional da igreja e missões é uma área que pede mais investigação se queremos enviar missionários transculturais com uma melhor preparação e cuidado;

Sete Lições de líderes brasileiros

Essa pesquisa de alguns lideres brasileiros que servem no campo de Educação Cristã produziu algumas lições que valem a pena ser consideradas. Os que responderam a pesquisa são homens e mulheres com as mãos no ministério. Eles e elas servem em diferentes posições na igreja brasileira, e os seus valores estão refletidos a seguir:

1. A comunhão pessoal com Deus tem um significado de impacto no Ministério Educacional da igreja. Muito de nossos pastores precisam de aprender a aquietar seu espírito, o que vem de uma vida devocional, pois ministramos o que somos. Portanto, é essencial que o Ministério Educacional da igreja coloque ênfase no estudo Bíblico pessoal e comunitário para os estudantes dos seminários.

2. Discipulado é a segunda chave. Flavio de Almeida, um pastor Metodista compartilha a importancia de se atingir a pessoa em sua íntegra. Ele baseia sua visão de uma experiência pedagógica no início dos anos 70. Ary Velloso, um missionário brasileiro o mentoreou. Ari servia com One Challange/Sepal, antes Overseas Crusades. Empregando as palavras de Flávio, ele diz ¨que desde esse tempo em meu Ministério tenho centrado o discipulado como um estilo de vida¨ (F.Almeida, comunicação pessoal, Março 15, 2013). O fruto dessa visão o tem levado a plantar igrejas e seus membros a empregar o tempo na palavra através de Escola Dominical, grupos celulares, adoração, orações e devoção pessoal. Ele aponta que muitos estudantes participaram em seu estudo de Doutrinas Bíblica, hoje mais de trinta são os lideres em sua igreja. Flávio começou os grupos celulares e os chama de ¨Fogo da Fé¨e eles perfazem trinta grupos. Ele diz ¨Quando começamos eu preparava meu material com questões e respostas de textos bíblicos para os grupos. Hoje os líderes estão encarregados de preparar os materiais embora em  seu ¨Ministério (Flavio) também usa materiais da denominação para preparar os músicos, os professores da Escola Dominical, e assim por diante.¨ (Flavio de Almeida, comunicação pessoal, Março 15, 2013).

3. A maioria dos líderes do Ministério Educacional da Igreja são voluntários, servindo como um professor de Biblia ou em áreas adiministrativas. O Ministério Educacional da Igreja  depende de millões de voluntários que estão liderando o Ministério e levando a visão dos seus líderes. Ambos, lideres e voluntários, necessitam de treinamento contínuo para fazer ministério.

4. As igreja deveriam ter os educadores cristãos em alto conceito. Todos os anos os seminários formam educadores cristãos no Brasil, mas as igrejas não tem visão de utilizá-los. Esses educadores poderiam liderar o Ministério Educacional da Igreja, usando sua especialidade para cerrar lacunas. Muitas mulheres escolhem a carreira de educadoras cristãs, como uma maneira de servir na parte administrativa da igreja local. Elas necessitam reconhecimento de seu serviço concedendo-lhes as igrejas, posições assalariadas. Isso criaria uma igualdade maior entre os homens, que terminando seu curso pastoral se acham rapidamente empregados.

5.Os lideres do Ministério Educacional da Igreja devem conhecer as necessidades da comunidade como uma prioridade real, tocando em particular os problemas de diferentes grupos etnicos e socio-ecenômicos. Isso aumentaria o esforço da missão da igreja. Aqui se recomenda a leitura de teólogos latinos no tema de teologia integral, que enriqueceria a visão do líders para o testemunho pleno da igreja.

6. A relação entre igreja e seminário demonstra que os pastores que se formam não estão bem preparados para o Ministério Educacional da igreja. Um pastor não tem idéia de como preparar uma lição, mas frequentemente está escrevendo currículos! Um dialogo entre a igreja e seminário ajudaria a alargar a visão e conhecimento das mudanças da época. Essa atitude levaria a um resultado melhor dos estudantes formados.

7. O Ministério Educacional da Igreja necessita de um programa missionário que proveja estratégias de treinamento, apoio e envio de missionários ao ministério que Deus lhes tem chamado. A medida que os brasileiros se tornam financeiramente mais afluentes, o Ministério Educacional da Igreja necessita capacitar seus membros a apoiar os missionários em orações e finanças.

Uma palavra final é que todos compareceremos perante o tribunal de Deus. Queremos lançar nossas coroas aos pés de Jesus e ouvir dele que temos sido fiéis. Que essa seja nossa ambição como educadores cristãos que amamos servir a Deus no Ministério Educacional da Igreja.

 

Sulamita Crabb

Sulamita Crabb

Missionária em SEPAL
Sulamita e Daniel Crabb, com seu filho guatemalteco Joshua, serviram juntos como missionários Sepal na Guatemala durante 13 anos. Sula, como carinhosamente a chamávamos, atuou como Educadora Cristã em diversos ministérios, além de mentorear pastores e líderes, até que o Senhor a chamou para si no ano de 2014. Daniel e Joshua seguem na Guatemala. Sula deixou saudade e um grande exemplo de serva.
Sulamita Crabb
Categorias: Artigos

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*