Conhecendo e aplicando a Bíblia do Discipulado

Conhecendo e aplicando a Bíblia do Discipulado

Dia 01/09 no espaço que a Flic promove para palestras de interesse de pastores e líderes, Ilaene falou sobre o tema “Conhecendo e aplicando a Bíblia do Discipulado” refletindo com os presentes princípios importantes sobre Relacionamentos, extraídos da Palavra de Deus e compartilhados na Bíblia de Estudo do Discipulado. O trabalho é resultado da caminhada de relacionamento de David Kornfield[1] e Josadak Lima[2] com centenas de pastores e cônjuges, líderes multiplicadores, incluindo também anotações que David fazia em sua própria Bíblia.

Conceitos que geraram esta Bíblia:

  1. Precisamos ter um nível de relacionamento mais profundo, capaz de gerar confiança. De forma que seja permitido ao outro, fazer uma intervenção “confortável” para ambas as partes, sem que “eu” me sinta ameaçado. Este relacionamento precisa ser comprometido, por isso, precisa ser intencional. Nem sempre uma relação de ajuda parte do pressuposto de que existe um problema, pessoas podem ajudar ou serem ajudadas a construir um plano de ação nas áreas em que há necessidade de crescimento, ou mesmo exercer uma ajuda preventiva e curativa.
  2. Discipulado –relacionamento comprometido e individual, capaz de gerar crescimento na vida das pessoas.
  3. O ambiente do grupo pequeno pode ser um espaço preventivo, ou de ajuda para lidar com uma crise já instaurada.
  4. Principal requisito para ser um discipulador – ser um discípulo. Percebemos muitos pastores e líderes, numa caminhada solo. Ilaene, cita Edmund Chan  que sugere uma pergunta que devemos nos fazer, seguida de um alerta:  estamos fazendo discípulos? Que tipo de discípulos estamos fazendo? Que tipo de discípulos somos?  Porque nós reproduzimos segundo a nossa espécie.
  5. Em Filipenses 3:12 constatamos que a maturidade e o nível de compromisso que eu tenho com os meus processos, precisa ser comunicado.
  6. A multiplicação é resultado natural do meu processo de maturidade. Se eu não estou frutificando preciso olhar qual é a qualidade da minha caminhada como discípulo.

Sugestões da Bíblia de Estudo do Discipulado:

  • Escolher um texto bíblico para o ano e visitar diversas vezes este texto. Exemplo:  com base em 1 João 1:7-9 assumir um compromisso de santidade para este ano.
  • Habacuque 2:2 – Registre a visão!  Faça um diário espiritual do que Deus está falando. Temos poucos espaços de encorajamento por meio  do compartilhar do que temos ouvido Deus falar conosco. Compartilhe!
  • Cadeia temática: Crie sequências temáticas na própria Bíblia de temas importantes.
  • Pequenos Grupos: Nesta perspectiva precisamos entender que Deus nos coloca na igreja para desenvolver relacionamentos comprometidos e pessoais. Apesar da vergonha, que impede que nós nos exponhamos precisamos de relacionamentos de confiança com quem possamos falar de nós mesmos.
  • As relações de ajuda é que irão me motivar a crescer como discípulo.
  • As grandes mudanças acontecem à medida que temos espaço com outras pessoas a quem eu posso prestar contas.
  • A renovação da mente expressa em Romanos 12, acontece no contexto dos relacionamentos, junto a pessoas que me ajudam a guardar a Palavra.
  • A Bíblia está à serviço de espaços de relacionamento.

[1]David Kornfield é doutor em Educação pela Universidade de Chicago. Como missionário Sepal, começou um movimento de Discipulado e pastoreio de pastores no Brasil há 25 anos. Atualmente atua na Aliança Evangélica Mundial implantando movimentos de pastoreio de Pastores em vários países.  É casado com Débora e reside em Pittsburg- EUA.

[2]Josadak Lima: Pastor Metodista. Missionário da Sepal.  Bacharel em teologia. Pós-graduado e Docência do Ensino Superior. Escritor com mais de 50 obras editadas. Diretor executivo da ABPP (Aliança Brasileira de Pastoreio de Pastores). Coautor da Bíblia do Discipulado, pela Sociedade Bíblica do Brasil.

Versão: Bíblia de Estudo do Discipulado, versão Nova Almeida Atualizada.

Categorias: BLOG SEPAL, Notícias