Portugal – Rubens e Magali Luz (setembro 2017)

Portugal – Rubens e Magali Luz (setembro 2017)

De abril a junho, os missionários Rubens e Magali Luz estiveram no Brasil. Um tempo para estar com familiares e divulgarem o projeto ministerial em Portugal. O casal viajou pelo sudeste e nordeste, e com a graça de Deus novos parceiros para o sustento da obra que se dedicam foram levantados.

De 7 a 11 de agosto, Rubens e Magali também estiveram no Retiro de Missionários Transculturais na Romênia.

Foi um tempo de muito refrigério e encorajamento por vir o que Deus está a realizar nos diferentes locais onde a Sepal está ministrando a resposta à advertência feita em Lucas 10:2: E lhes disse: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Portanto, peçam ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para a sua colheita”, diz Rubens Luz.

Em Portugal, o casal Luiz Carlos e Sandra Moreira chegarão em breve para integrar a equipe. Até o final do ano, mais um casal de missionários, Vacilius e Mara Regina Lima também chegarão para somar esforços no desenvolvimento de líderes portugueses.  O casal Nelson e Vera Domingues também estão se preparando para que, em breve integre a equipe nos Açores, com Luiz e Arlete Castro.

No último mês Rubens e Magali participaram da VIII Conferência Bíblica, realizada no Acampamento Baptista em Águas de Madeiro. Os temas abordados nesta edição fizeram menção aos 500 anos da Reforma Protestante.

Ministério em Belas

Na igreja Baptista Belas Vida, “Metamorfose” é o enfoque do ano para a série de mensagens baseadas em Romanos 12, na transformação da mente. O tema continuará a ser trabalhado neste 2º semestre.

As reuniões do G.P.S (Grupo de Partilha e Suporte) terão como enfoque o tema “Uns aos outros”, que abordam os mandamentos recíprocos. O desafio é vivenciar relacionamentos profundos com Deus e os outros, a orar intencionalmente por àqueles que o Senhor há de acrescentar.

Motivo de oração

Um novo medicamento está disponível para o tratamento do câncer que se alojou nos pulmões da Magali, ao que tudo indica, não tem os mesmos efeitos secundários, semelhante ao anterior, trazendo nova expectativa no controle do crescimento dos nódulos.

O medicamento é de uso contínuo, aplicado duas vezes por mês no hospital, de forma intravenosa. O custo é alto, por isso, é patrocinado pelo SUS, Rubens e Magali estão aguardando que o convênio PB4 cubra os custos em Portugal para que a Magali inicie o tratamento.

Este medicamento amplia a ação imunoterápica feita com o tratamento homeopático. O casal esteve na Fundação Champalimaud, via Fundação Champalimaud (o melhor Centro de Pesquisa para o câncer na Europa) para um diagnóstico da evolução dos nódulos. Por serem “indolentes”, os médicos, optaram por esperar mais antes de avançarem para a cirurgia radioterápica, já que não estão prejudicando a qualidade de vida da Magali.


Texto: missionários
Edição: Edna Ramos
Diagramação: Paulo Ribeiro